Orquestra

Fundada em 1973, a Orquestra Sinfónica Juvenil é, hoje, reconhecida como uma instituição fundamental no nosso panorama músico-pedagógico.
Sendo, em Portugal, a única orquestra de jovens com actividade permanente, desempenha um papel fulcral na formação de jovens músicos, numa perspectiva de aperfeiçoamento de alto nível e profissionalização.
Nestes 45 anos de existência, a O.S.J. recebeu e formou muitos dos actuais instrumentistas das nossas orquestras, incentivou e deu a conhecer ao público muitos jovens solistas, levou a sua acção em favor da cultura musical a todo o país, contribuindo para a criação de novos públicos.
Contando, nos seus quadros, com 80 elementos das diversas escolas de música da área de Lisboa, o seu repertório, em permanente renovação, é ambicioso e vasto: foram já tocadas mais de 800 obras abrangendo os séculos XVIII, XIX e XX.
Nos últimos anos, a OSJ e os seus agrupamentos têm sido convidados para actuar em importantes acontecimentos artísticos.
Em 1990, a convite da UNESCO, participou num estágio de aperfeiçoamento orquestral em Hortos (Grécia).
Em 2002, a “Camerata” da Orquestra Sinfónica Juvenil representou Portugal no Festival Internacional de Jovens de Tianjin, China.
Em Agosto de 2005, efectuou um Estágio em Vigo (Galiza) em colaboração com a orquestra de jovens local.
A OSJ mantém acordos de colaboração com orquestras semelhantes de vários países, com as quais estabelece intercâmbio de jovens músicos.
Nos períodos de férias de verão, realiza anualmente estágios de aperfeiçoamento orquestral (Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores e localidades diversas no Continente), que têm conhecido um grande sucesso, permitindo uma proximidade com as populações.
A OSJ colabora regularmente com diversos coros na apresentação de repertório coral-sinfónico.
Para além dos Maestros-Titulares (Alberto Nunes de 1973 – 83) e Christopher Bochmann (desde 1984) foi dirigida por Francisco d’Orey, Jorge Matta, António Saiote, Roberto Perez, Georges Adjinikos, José Palau, Andrew Swinerton, Vasco Azevedo, Julius Michalsky, Pedro Amaral e Filipe Carvalheiro.
A Orquestra Sinfónica Juvenil desenvolve as suas actividades com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, Instituto Português do Desporto e Juventude, RTP, Câmara Municipal de Lisboa e com o apoio mecenático da Fundação EDP, instituição com a qual tem desenvolvido um fecundo programa de bolsas.

ORQUESTRA SINFÓNICA JUVENIL
The Orquestra Sinfónica Juvenil was created in 1973 and is today recognized as a fundamental institution in the panorama of music tuition in Portugal.
It is the only youth orchestra in Portugal that is active all year round, and it fulfils an essential role in the training of young musicians, providing professional experience at the highest level.
In 45 years of activity, the O.S.J. has taken in and trained many of the present-day members of Portuguese orchestras, and has encouraged and promoted many young soloists. Its activities stretch over the whole country and have contributed significantly to the creation of a new listening public.
The orchestra has about 80 members, that come from various different music schools from the area of greater Lisbon. Its repertoire is ambitious and far-reaching and in constant evolution. More than 800 works have been played ranging from the 17th to the 21st centuries.
The O.S.J. and its respective sub-groups are in constant demand for important artistic occasions. Various formations of the O.S.J. have performed in Hortos (Greece), in Tianjin (China), in Vigo (Galicia, Spain) and in Goa, Bangalore, New Delhi and Bombay (India).
The O.S.J. regularly commissions works from young Portuguese composers, and gives the first performances.
The orchestra has on-going collaboration agreements with similar orchestras in other countries, with which it organizes the exchange of young musicians.
In the summer holidays, it organizes orchestral courses; these have mostly been held in the autonomous regions of the Azores and Madeira.
The O.S.J. regularly collaborates with a  number of choirs in the performance of large choral works with orchestra.
In addition to its resident conductors, Alberto Nunes (1973-1983) and Christopher Bochmann (since 1984), the orchestra has been conducted by Francisco d’Orey, Jorge Matta, António Saiote, Roberto Pérez, Georges Adjinikos, José Palau, Andrew Swinnerton, Vasco Azevedo, Julius Michalsky, Pedro Amaral and Filipe Carvalheiro.
The O.S.J. is supported by the Ministry of Culture, the Portuguese Institute of Sport and Youth, RTP (the Portuguese national television and radio service), the Lisbon City Council and the EDP Foundation; the last has set up an elaborate programme of study grants.